segunda-feira, 23 de maio de 2011

O mundo seria melhor com mais PIPAS!


Quando fazia barquinhos de papel, das gravuras dos tempos de barcos-a-vela, talvez nunca paramos para pensar que a vida moderna fosse chegar a um ponto que tecnologias passadas voltariam a tona como alternativas em sustentabilidade. Depois de um consumismo acelerado de combustíveis, a energia renovável vem de braços abertos alcançando a humanidade.

Os combustíveis utilizados por grandes máquinas, na maioria com combustíveis fósseis e derivados, contribuem e muito para a poluição atmosférica e o aquecimento global. Abaixo temos alguns valores para alguns combustíveis:
1 tonelada de carvão vegetal queimados emitem aprox. 3,3 toneladas de CO2 para a atmosfera
100 litros de querosene queimados - aprox. 200 Kg CO2 para a atmosfera
100 litros de óleo diesel queimados - aprox. 300 Kg de CO2 para a atmosfera

Em uma viagem de curta distância (SP-RJ), já emitimos em torno de 100 Kg de CO2 equivalente!

A energia eólica tem grande potencial, para gerar energia elétrica e agora, unida com a força tração, pode movimentar navios... inclusive cargueiros!

Se trata de pipas rebocadoras para navios. Ela promete diminuir o uso de combustíveis de até 35% ao ano, o que daria em torno de 100 milhões de toneladas de CO2 economizadas para a atmosfera.

Mas como esse tipo de tecnologia aguentaria tamanha força?
Se trata de uma fibra 15 vezes mais forte que o aço e que flutua na água. Suporta uma força de 45 a 90 cavalos! É quimicamente inerte e funciona bem em qualquer tipo de ambiente... secos, salgados, molhados... e não se degradam na presença de luz UV (tipo de irradiação solar).

Esse tipo de fibra tbm já está sendo estudada para utilização médica, em ortopedia e cirurgias cardiovasculares.


Iniciativas como esta nos dá a esperança de que nem tudo está perdido, ou pelo menos, podemos fazer MUITO com POUCO! Um simples vento, tão comum em alto mar!

Seja criativo tbm e deixe um legado à futuras gerações!
Pratique a sustentabilidade!

Obrigada pela leitura!
Até a próxima!

Karen Andressa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou? Deixe seu comentário!